Sobre a eficácia do isolamento social

Estamos vivendo uma pandemia em consequência da doença COVID-19 (sigla que vem de COrona VIrus Disease, traduzindo: Doença do Corona Vírus). Enquanto a ciência vai em busca de uma vacina e da cura para tal enfermidade, a solução encontrada foi a do isolamento social. Entretanto, tal método é de fato eficaz? 

O que é o isolamento social?

O isolamento social resume-se em evitar contato com outras pessoas, no contexto em que vivemos é simplesmente: ficar em casa e só sair quando houver extrema necessidade, e o único contato permitido seria aquele com as pessoas que você vive (caso more com alguém). Ou seja, o método consta em evitar aglomerações de pessoas.

quarentena, que também é um conceito muito usado para explicar o que estamos vivendo, nada mais é do que o isolamento social feito em um período de 40 dias (por isso que quando passa disso é falado que a quarentena foi aumentada). Entretanto, apesar de atualmente usarmos ambos termos para falar sobre a mesma coisa, existe uma diferença conceitual: o termo isolamento é usado quando a pessoa está doente, e o termo quarentena é quando a pessoa está sadia. Mas ambos são para indicar que a pessoa está isolada.

Como estamos vivendo um momento em que tanto pessoas doentes ou sadias estão isoladas, os dois termos acabam estando corretos, mas o que nos foi imposto (e por vários outros países) é, de fato, uma quarentena.

Por que usar esse método com a Covid-19?

O raciocínio é simples, o contágio da Covid-19 é feito pelo contato com uma pessoa doente, por meio de gotículas respiratórias expelidas no ar: tosse, espirro, conversa, etc (ou pelo contato em si, beijo, abraço, tocar em um objeto contaminado pelo doente e levar ao rosto, etc). Sendo assim, evitar o contato deve evitar a transmissão da doença, logo os casos diminuiriam em quantidade. Isso, então, se manteria até tratarmos as pessoas com a doença, enquanto cientistas procuram a cura e/ou a vacina.

Já foi usado antes na história?

Sim, foi usado inclusive na pandemia mais famosa de todas e originou justamente dela: a Peste Negra

O pioneirismo atribuído a Veneza está na prática da quarentena de quarenta dias, período durante o qual os barcos deveriam permanecer isolados antes que seus passageiros e tripulantes desembarcassem em seus portos, respondendo a uma medida profilática para contenção do avanço da Peste Negra. A origem da palavra quarentena é vêneta. A quarentena mostrou-se muito eficiente como medida para conter a propagação da Peste Negra e tornou-se uma das práticas mais tradicionais de saúde pública.

Óbvio que, na Idade Média o isolamento era precário e levou tempo para acontecer, entretanto, quando finalmente foi imposto, reduziu o número de casos da doença.

Então, é um método eficaz? 

Sim, e já foi inúmeras vezes cientificamente comprovado, então não há dúvidas de que o isolamento ajuda no combate de doenças contagiosas. Entretanto, quando ele não é respeitado por completo, fica difícil de ver tal resultado, por isso a importância de ficar em casa!

Estudos já concluíram a eficácia do isolamento na propagação do Covid-19, e um grande exemplo disso tudo é a China, que tomou medidas rígidas nesse quesito e já está caminhando novamente a normalidade. Por isso, respeitem o isolamento: fiquem em casa!

Blog enem

Outros conteúdos

CSJE promove homenagem de aniversário para irmã Marcela

Em comemoração do aniversário de 80 anos da Irmã Marcela, uma celebração eucarística foi realizada na manhã desta segunda-feira (30) de maio, nas dependências...

CSJE realiza Simulado do ENEM com Sistema Farias Brito / Evolucional

Durante o domingo (15), os alunos do Colégio São João Evangelista (CSJE), do Ensino Médio (1º ao 3º ano) participaram do Simulado ENEM Sistema...

CSJE realiza evento em homenagem às mães

O Colégio São João Evangelista (CSJE), realizou uma apresentação especial para comemorar o Dia das Mães 2022. Na quadra da instituição foi montada um espaço...

Comemoração ao Dia do Coordenador Pedagógico

Neste dia 22 de agosto comemoramos o Dia do Coordenador Pedagógico. É salutar agradecer aos coordenadores Maricea Deocleciano, Ezaquias Gonçalves e Graziela...