Mutações: como e por que acontecem?

No meio científico, uma das áreas que cada ano cresce e avança mais é a genética. Uma das pauta mais discutidas pela comunidade científica é as mutações. Muitas pessoas têm diversas dúvidas sobre tal assunto, logo, vamos entender como e por que acontecem tais mutações.

O que é mutação?

Mutação nada mais é do que uma alteração, uma mudança, no genoma (material genético do organismo ou vírus).

As mutações podem ocorrer em células somáticas ou germinativas. Quando surgem nas células somáticas (células do corpo, exceto as reprodutivas), elas geralmente não são herdáveis, podendo causar problemas como o desenvolvimento de tumores, envelhecimento precoce, malformações (quando ocorre no período embrionário), entre outros.

Quando ocorrem em células germinativas (células que originam os gametas), essas mutações são passadas aos descendentes, podendo causar diversas desordens genéticas, como o surgimento de síndromes, malformações e aborto.

Mutações

Mas, como acontecem essas mutações?

O material genético humano encontra-se organizado em 46 cromossomos que ficam no núcleo das células. Os cromossomos são como novelos, cujos fios enrolados são o DNA, um tipo de molécula que guarda o ”manual” que cada célula precisa para viver. O DNA é formado por uma seqüência de pequenas unidades, chamados de nucleotídeos.

São as ligações entre eles que fazem o DNA crescer como duas longas fitas, adquirindo a forma de uma hélice dupla. São eles: adenina (A), guanina (G), citosina (C) e timina (T); lembrando que A se liga com T e G se liga com C. O sequenciamento dessas letrinhas é o código no nosso “manual” e sua organização (não há necessidade de entrar em detalhes) é um processo extremamente delicado e preciso para não ocorrerem erros.

Dessa forma, só ocorre um erro a cada 1 bilhão de letras, que ainda são revisadas e ajustadas pelas chamadas enzimas de reparo.

Entretanto, mesmo com tudo isso, ainda podem haver erros que passam despercebidos pelos mecanismos do nosso corpo. São esses erros, essas alterações, que caracterizam as mutações. Elas podem ocorrer naturalmente ou através de algum agente mutagênico:

Mutações espontâneas: advindas de erros naturais durante os processos de mitose, meiose ou síntese proteica, falhas na replicação de DNA.

Mutações induzidas: induzidas por agentes mutagênicos, isto é, substâncias químicas ou de natureza física que podem induzir as mutações, como os raios ultravioleta e raios X, radiação nuclear, bebidas alcoólicas, substâncias derivadas do tabaco, bem como alguns medicamentos.

As mutações podem ser de dois tipos:

Mutação gênica: ocorre a alteração de um trecho da molécula de DNA, levando a uma modificação na proteína sintetizada, como ocorre em uma doença conhecida como anemia falciforme.

Mutação cromossômica: ocorre alteração de partes inteiras de cromossomos, alterando a sequência de genes em um cromossomo (alterações cromossômicas estruturais) ou até mesmo uma alteração no número de cromossomos (alterações cromossômicas numéricas). Exemplo: Síndrome de Down.

Mutações ocorrem ao acaso, de forma aleatória, ou seja, não surgem como forma de suprir uma necessidade do organismo ou até mesmo para prejudicá-lo de alguma forma. Por ocorrerem ao acaso, as mutações geram diferentes respostas no organismo, afetando de forma positiva, negativa ou não causando nenhuma mudança.

Importância das mutações:

As mutações são comumente relacionadas a algo ruim, principalmente por estarem ligadas ao surgimento de alguns tipos de tumores e síndromes. Entretanto, as mutações podem criar novos alelos e novos genes, sendo as principais fontes de variabilidade genética.

A variabilidade genética amplia a capacidade das populações de lidarem com mudanças ambientais e de estarem sujeitas à seleção natural, influenciando diretamente o processo de evolução dos seres vivos. Geralmente, quando a mutação faz surgir uma característica que confere uma determinada vantagem ao indivíduo, ela é preservada. O genótipo das espécies é fruto de mutações vantajosas que foram preservadas ao longo do tempo pela seleção natural.

Blog Enem